terça-feira, 28 de dezembro de 2021

Prof. Rafael José Pôncio - Como atos de altruísmo e doação podem trazer benefícios para o mundo e gerar impactos pessoais

Nos últimos tempos, muitas circunstâncias têm nos feito repensar nossos atos e a maneira como estamos vivendo. Uma pandemia mundial, com efeitos devastadores e perdas humanitárias em escalas inimagináveis, gerou impactos em diversos âmbitos, transformando perspectivas e redirecionando, de alguma forma, o nosso foco. 

Nesse contexto, pudemos observar, entre muitas pessoas, o despertar de um comportamento mais empático, surgindo daí a necessidade de ajudar mais o próximo e de praticar atos de altruísmo e doação.


Mas, o que é o altruísmo e como a sua prática beneficia tanto aqueles que são diretamente impactados pelas ações de solidariedade, quanto as pessoas que as realizam? Como o efeito de atitudes altruístas pode ser tão positivo e abrangente e contribuir para a evolução da sociedade?


As respostas podem estar neste artigo, em que busco entender como a vida com mais altruísmo e doação são capazes de mudar o mundo — o externo e o nosso mundo interior. Vamos lá?

Entendendo o conceito de altruísmo e doação

Considerado uma característica pessoal, o altruísmo é um comportamento voltado para a solidariedade e se caracteriza pela disposição em ajudar o outro e praticar ações visando ao bem-estar do próximo. Esse termo, altruísmo, foi criado pelo filósofo francês Auguste Comte, em meados do século XIX, e seu significado também se estabelece como uma antítese do egoísmo. 


É importante destacar que o comportamento altruísta precisa ser recorrente, com dedicação ao próximo genuína e constante, para que um indivíduo seja considerado altruísta. Empreendedores que praticam atos isolados e fazem doações de vez em quando, sem dúvidas, são solidárias e desejam fazer o bem, mas isso não quer dizer que têm esse traço ou característica na personalidade. Entretanto, é algo que pode ser desenvolvido e aprendido.

Os tipos de altruísmo

Existe a classificação de alguns tipos de altruísmo. Detalho, a seguir, quais são eles. 

Altruísmo genético

Se refere ao altruísmo relacionado às pessoas que possuem laços genéticos. Ou seja, os atos de dedicação ou sacrifício envolvem familiares próximos, como entre um pai e um filho, por exemplo. 

Altruísmo recíproco

É ajudar esperando receber ajuda em uma eventual necessidade, um altruísmo baseado em um relacionamento mútuo. O favor ou auxílio de agora pode ser retribuído futuramente. 

Altruísmo selecionado pelo grupo

Tem o mesmo princípio do altruísmo genético, porém, em vez da família, os esforços de ajuda são direcionados para pessoas ou causas apoiadas por determinado grupo social, do qual se faz parte. 

Altruísmo puro

É o altruísmo motivado por valores morais, sem qualquer expectativa de receber algo em troca pela ajuda prestada ou doação realizada. Não prioriza nenhum grupo de pessoas e, muitas vezes, até envolve situações de risco para ajudar aqueles que necessitam. 

Os principais benefícios de praticar o altruísmo

Empregar ações altruístas no dia a dia e incorporar esse comportamento pode gerar impactos positivos tanto individualmente quanto coletivamente. É como eu disse, através do altruísmo é possível fazer um pouquinho para mudar o mundo. E dessa forma, você muda também internamente. Veja só quais são esses benefícios. 

1. Melhoria do bem-estar pessoal e mental

Quando fazemos o bem e ajudamos alguém, é comum termos uma sensação de bem-estar e felicidade. Muitas pessoas até dizem que, ao ajudar, parece até que, mais que proporcionar algo a alguém, estão fazendo o bem a si próprio, tamanha a realização de contribuir para melhorar uma situação. Existem estudos que comprovam essa teoria de que fazer o bem pode trazer felicidade. 

2. Possibilidade de inspirar e ser exemplo para a comunidade, melhorando índices de bem-estar social

O comportamento altruísta do empreendedor pode ser inspirador e a prática de atos e ações de solidariedade e doação em uma comunidade pode ser contagiante e incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Isso é extremamente importante, além de servir de exemplo para as novas gerações, que têm a oportunidade de crescer em uma sociedade mais empática e colaborativa. 

3. Desenvolvimento de relacionamentos com mais qualidade e pautados no respeito, amor e empatia

Vivemos em um mundo em que as pessoas estão cada vez mais individualistas, deixando de pensar umas nas outras, sem se importar como seus atos podem gerar impactos na vida de outros indivíduos. O altruísmo pode ajudar a reverter esse olhar e a melhorar as conexões e os relacionamentos sociais, nos fazendo relembrar como é uma vida compartilhada em comunidade, pautada em valores humanos como a empatia, o respeito, o amor e a gentileza. 

4. Oportunidade de contribuir para a evolução da nossa sociedade

Foi esse comportamento cooperativo que nos permitiu sobreviver e evoluir como humanidade. Por isso, os atos de altruísmo têm papel fundamental em nossa história e, certamente, continuarão influenciando a nossa evolução como sociedade. Precisamos uns dos outros para continuar a caminhar, pois isso impactará a vida das futuras gerações. 

5. Maior expectativa de vida

O espírito de cooperação característico dos japoneses é determinante para que a população alcance uma maior expectativa de vida, de acordo com um estudo realizado com pessoas com mais de 100 anos no país. Foi observado o efeito de ações altruístas na saúde mental dos pesquisados e também no que se refere à imunidade. Dessa maneira, podemos concluir que ajudar e colaborar com o próximo é essencial para quem deseja viver mais. 

6. Melhoria da saúde de maneira geral

Além da saúde mental, até a saúde física pode se beneficiar do comportamento altruísta. Como vimos no tópico acima, o envolvimento em ações de solidariedade e de ajuda pode estar relacionado à melhora da imunidade. Portanto, praticar o altruísmo pode contribuir para que você seja mais saudável.


Essa consciência de que devemos fazer mais um pelos outros é muito importante, mesmo que a gente só se dê conta da relevância de praticar atos que envolvam altruísmo e doação em momentos críticos, como este que estamos vivendo. Esse é um comportamento que precisamos incentivar, pensando sempre nas minorias e nas pessoas que estão passando por situações difíceis. Só assim, se cada um fazer a sua parte, seremos capazes de criar uma sociedade mais colaborativa e empática, em que todos pensem no bem-estar comum.


Bom trabalho e grande abraço.


Prof. Adm. Rafael José Pôncio





Conheça também:

8 lições de empresas de excelência que têm o propósito em servir como valor principal


        Reprodução permitida, desde que mencionado o Nome do Autor e o link fonte.       

Nenhum comentário:

Postar um comentário