sábado, 10 de novembro de 2018

Empreendedor, conhecer-se para tomar decisões




No mundo como o que vivemos hoje, em que as situações de incerteza, de mudança contínua e de complexidade são cada vez mais presentes, é melhor ter uma mentalidade cada vez mais empreendedora, seja para as empresas, seja para os indivíduos?

E nesse contexto, Será que existe jeito empreendedor de tomar decisões? Será que os empreendedores tomam decisões de forma diferenciada quando comparados com outras pessoas, principalmente nos ambientes de negócios, nos ambientes de empresas e nos ambientes de criação de novos empreendimentos?

Podemos definir a prática de tomar uma decisão como conjunto de escolhas que vão definir determinado caminho, determinado resultado, uma determinada trajetória para uma ação que vai ser realizada. Junto com a decisão, tem que haver primeiro processo de julgamento que, na verdade, é como o empreendedor avalia, faz estimativa e infere quais são os eventos e consequências que vão acontecer se ele escolher uma determinada ação e não outra.

O empreendedor tem que julgar e avaliar quais serão esses eventos e que tipos de reação as pessoas que estão tomando as decisões terão em relação a esses eventos. Ou seja, o empreendedor tem que julgar e avaliar quais serão esses eventos e que tipos de reação as pessoas terão em relação a esses eventos.

E, é claro, no processo para a tomada de decisão tem a ver com as preferências, como a pessoa que está decidindo tem o comportamento específico, uma determinada intenção de escolher uma alternativa de ação e não outra.

Os empreendedores tomam decisões criando algumas regras, mecanismos e técnicas bem pessoais de pensamento e de comportamento para facilitar e acelerar o processo de tomada de decisão.

Os empreendedores acabam criando métodos próprios com suas próprias experiências e, principalmente, aprendem com seus próprios erros. Em geral, estes mecanismos e técnicas acabam fugindo dos modelos de decisão mais racionais, que são aqueles modelos onde você toma decisões mais estruturadas, mais sistemáticas, justamente porque você tem mais informações e tem informações mais seguras, mais precisas e mais organizadas.

As decisões mais racionais são tomadas porque você tem nível de segurança e de confiança nas informações que você está utilizando para tomar a decisão. Principalmente, porque as informações puderam ser bem estruturadas e bem organizadas.

E porque não existem incertezas e dúvidas significativas em relação a elas. Nem sempre as melhores informações estão disponíveis. Mesmo porque obter boas informações pode custar muito dinheiro em determinadas fases do processo de empreendedor. O problema é que esses mecanismos e técnicas também estão associados a algumas distorções no formato de pensar e de agir dos empreendedores.

Uma característica importante dessas distorções é que elas são uma maneira de pensar e agir que envolvem conclusões baseadas em evidências ou suposições quase sempre equivocadas. Por exemplo, uma distorção muito simples e muito presente é o excesso de otimismo. O excesso de otimismo é a tendência que o empreendedor tem de esperar resultados positivos, mesmo quando tais expectativas não são racionalmente justificadas.

O excesso de confiança refere-se ao comportamento de superestimar a probabilidade que o empreendedor tem de estar certo em relação à determinada decisão. As consequências do excesso de confiança podem ser negativas. Por exemplo, os empreendedores superconfiantes tendem a entrar em determinados segmentos de mercado ao usar informação equivocada para decidir sobre aquele mercado. Estes excessos são uma das razões que explicam o fato de que pessoas empreendedoras gostam de correr mais riscos ou, como se costuma falar às vezes, que os empreendedores gostam de tomar riscos.

Quando se tem excesso de confiança na hora de tomar uma decisão, os empreendedores podem ficar mais propensos a correr riscos que a maioria das pessoas. É muito comum que o uso dessas regras, mecanismos e técnicas tragam soluções bastante aceitáveis para problemas que os empreendedores enfrentam no processo de decisão, o que torna essas decisões bastante eficazes e produtivas.

Esses mecanismos são verdadeira estratégias e gatilhos que são usados pelo empreendedor para tentar simplificar situações e problemas muito difíceis de serem decididos. Justamente porque envolvem condições muito complexas e cheias de incerteza. E sabe-se que os empreendedores tomam mais decisões com base nessas técnicas, procedimentos e comportamentos do que, por exemplo, os gerentes e determinados cargos técnicos nas organizações.

Essas técnicas e regras são chamadas de heurísticas, e as distorções são chamadas de vieses psicológicos ou vieses cognitivos. Mas o que é interessante é que os estudos na área de empreendedorismo apontam que os empreendedores têm mais vantagens do que desvantagens em relação à maioria das pessoas ao usarem tais técnicas e estarem sujeitos a elas.

São justamente esses procedimentos, técnicas e, até mesmo, essas distorções que os ajudam a serem pessoas que têm uma capacidade maior do que a maioria das pessoas na hora de por em prática ideias e transformá-las em oportunidades e novos empreendimentos.

Por exemplo, quando os empreendedores buscam informações formais ou informais, mais ou menos estruturadas, para testar hipóteses sobre o potencial de uma nova ideia, eles estão usando heurísticas para encontrar a melhor resposta e ajudá-los a decidir se devem prosseguir ou não com aquela ideia. Ou, então, essas diferenças favoráveis aos empreendedores surgem quando, por exemplo, uma alta confiança pode desencadear emoções positivas ou atuar como importante resultado para ação do empreendedor, o que promove mais flexibilidade e mais capacidade de recuperação ao enfrentar certos obstáculos.

Assim, essas diferenças podem aumentar a capacidade do empreendedor de criar novos negócios, mesmo quando o negócio atual se mostra inviável. Mas poderia ser perguntado: Essas diferenças favoráveis ao empreendedor pelo modo como ele toma decisões permanecem, de fato, mesmo quando se tem muitas incertezas sobre às decisões?

A busca incessante pelo aprendizado no cotidiano ainda é o melhor caminho para direcionamento das melhores decisões, cabendo ao empreendedor dotar-se das melhores práticas e refletir de tempo em tempo sobre se o conhecer-se a si mesmo está bem nivelado e congruente.

Bom trabalho e grande abraço.

Autor:  Adm. Rafael José Pôncio
Publicado em:  28 de junho de 2017
Especial:  Artigos no portal Administradores.com
Link fonte:
https://administradores.com.br/artigos/empreendedor-conhecer-se-a-si-mesmo-para-tomar-decisoes


        Reprodução permitida, desde que mencionado o Nome do Autor e o link fonte.         

Nenhum comentário:

Postar um comentário