terça-feira, 9 de julho de 2013

Comparação técnica dos controles do Empreendedor versus cargos Administrativos e Gerenciais


Ao analisar os estudos sobre o papel e as funções do administrador, efetuados por Mintzberg, Kotter, Stewart, e ainda sobre a abordagem processual do trabalho do administrador, pode-se dizer que existem muitos pontos em comum entre o empreendedor e administrador. Ou seja, o empreendedor é um administrador, mas com diferenças consideráveis em relação aos gerentes ou executivos de organizações tradicionais, pois os empreendedores são mais visionários que os gerentes.

Assim, quando a organização cresce, os empreendedores geralmente têm dificuldades em tomar decisões do dia-a-dia dos negócios, pois preocupam-se mais com os aspectos estratégicos, com os quais sentem-se mais à vontade.

As diferenças de controle empreendedor e administrativo podem ser comparadas em cinco dimensões distintas de negócio: orientação estratégica, análise de oportunidades, comprometimento dos recursos, controle dos recursos e estrutura gerencial:

Controle EMPREENDEDOR




Controle ADMINISTRATIVO


Norteadores

< DIMENSÕES 

Norteadores


DO NEGÓCIO >

Mudanças rápidas:

Dirigido pela percepção de oportunidades

Orientação estratégica

Dirigido pelos recursos atuais sob controle

Critérios de medição de desempenho; sistemas e ciclos de planejamento

-Tecnológicas,

-Valores sociais,

-Regras políticas.






Orientação para ação; decisões rápidas; gerenciamento de risco

Revolucionário de curta duração

Análise de oportunidades

Revolucionário de longa duração

Reconhecimento de várias alternativas; negociação da estratégia; redução do risco






Falta de previsibilidade das necessidades; falta de controle exato; necessidade de aproveitar mais oportunidades; pressão por mais eficiência

Em estágios periódicos com mínima utilização em cada estágio

Comprometimento dos recursos

Decisão tomada passo a passo, com base em um orçamento

Redução de riscos pessoais; utilização dos sistemas de alocação de capital e de planejamento formal






Risco da obsolescência; necessidade de flexibilidade

Uso mínimo dos recursos existentes ou aluguel dos recursos extras necessários

Controle dos recursos

Habilidade no emprego dos recursos

Poder, status e recompensa financeira; medição da eficiência; inércia e alto custo das mudanças; estrutura da empresa






Coordenação das áreas-chave de difícil controle; desafio de legitimar o controle da propriedade; desejo dos funcionários de serem independentes

Informal, com muito relacionamento pessoal

Estrutura gerencial

Formal, com respeito a hierarquia

Necessidade de definição clara de autoridade e responsabilidade; cultura organizacional; sistemas de recompensa; inércia dos conceitos administrativos


Também podemos comparar entre gerentes tradicionais e empreendedores sobre temas relevantes:

TEMAS                             

GERENTES TRADICIONAIS       

   x  

EMPREENDEDORES     





Motivação principal

Promoção e outras recompensas tradicionais da corporação, como secretária, status, poder etc.                                  

Independência, oportunidade para criar algo novo, ganhar dinheiro.                               





Referência de tempo

Curto prazo, gerenciando orçamentos semanais, mensais etc, e com horizonte de planejamento anual.


Sobreviver e atingir cinco a dez anos de crescimento do negócio.





Atividade

Delega e supervisiona.


Envolve-se diretamente.





Status

Preocupa-se com o status e como é visto na empresa.


Nem importa com status.





Como vê o risco

Com cautela.


Assume riscos calculados.





Falhas e erros

Tenta evitar erros e surpresas.


Aprende com erros e falhas.





Decisões

Geralmente concorda com seus superiores.


Segue seus sonhos para tomada de decisões.





A quem serve

Aos outros (superiores).


A si próprio e aos clientes.





Histórico familiar

Membros da família trabalharam em grandes empresas.


Membros da família possuem pequenas empresas ou já criaram algum negócio.





Relacionamento com outras pessoas

A hierarquia é a base do relacionamento.


As transações e acordos são a base do relacionamento.


Outro fator que diferencia o empreendedor de sucesso do administrador comum é o constante planejamento a partir de uma visão de futuro. Esse talvez seja o grande paradoxo a ser analisado já que o ato de planejar é considerado uma das funções básicas do administrador desde os tempos de Fayol. Então não seria o empreendedor que assume as funções, os papéis e as atividades do administrador de forma complementar a ponto de saber utilizá-los no momento adequado para atingir seus objetivos? Nesse caso, o empreendedor estaria sendo um administrador completo, que incorpora as várias abordagens existentes sem se restringir a apenas uma delas e interage as várias abordagens existentes sem se restringir a apenas uma delas e interage com seu ambiente para tomar as melhores decisões.

Todo empreendedor necessariamente deve ser um bom administrador para obter o sucesso, no entanto, nem todo bom administrador é um empreendedor. O empreendedor deve buscar algo a mais, algumas características e atitudes que o diferenciam dos administradores convencionais contratados nas empresas, pois o grau de responsabilidade recai sobre o primeiro devido o locus de controle e ser o visionário criador do negócio. Longe de menosprezar um em detrimento ao outro, mas cabe ao empreendedor buscar o conhecimento de administração nas melhores práticas, pois ser empreendedor é saber gerir com profundidade e clareza.

Bom trabalho e grande abraço.

Adm. Rafael José Pôncio



Conheça também:

Comprometimento: um valor importante para um profissional de sucesso



        Reprodução permitida, desde que mencionado o Nome do Autor e o link fonte.         

Nenhum comentário:

Postar um comentário