quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Educação para Negócios com o uso da Andragogia


A palavra Andragogia pode soar estranha em um primeiro momento, porém, o seu significado é muito simples, até comum pode-se dizer. O termo vem do grego andros (adulto) e gogos (educar). 

Em uma tradução livre, a Andragogia  é a educação ou ensino para adultos e tem ganhado força na atualidade. E não é para menos! Ela tem contribuído fortemente no desenvolvimento da educação corporativa e sua maior colaboração nesse sentido é a quebra do paradigma de que o professor detém todo o conhecimento e deposita o que sabe nos alunos.

A Andragogia caminha em outra direção, pois acredita que em todo e qualquer treinamento deve haver espaço para o diálogo, troca e aprendizado mútuo.

No século XX, mais precisamente na década de 70, a palavra ganhou uma dimensão corporativa, quando Malcolm Knowles ampliou o conceito e  definiu a Andragogia como a arte ou ciência que estuda a educação para adultos com o objetivo de atingir uma aprendizagem efetiva, capaz de desenvolver habilidades, conhecimentos e competências.

É atribuída a Knowles também a ideia de que pessoas adultas aprendem mais facilmente em ambientes confortáveis, flexíveis, informais e livres de ameaças. Não há como negar que quando o lugar e o clima são agradáveis e propícios para a aprendizagem, os resultados tornam-se mais significativos, concorda? É isso o que a Andragogia propõe: o aprendizado maduro e consciente, fluindo em um contexto plenamente favorável.

Adultos não aprendem como crianças. Isso é fato! Partindo desse pressuposto, a educação para adultos não deve ser baseada nos princípios pedagógicos e sim nos pilares andragógicos. Isso quer dizer que o adulto é o sujeito da educação e não meramente o objeto dela. Em outras palavras, propõe-se autonomia, colaboração e a autogestão da aprendizagem, atributos importantíssimos para quem deseja crescer profissionalmente.

A educação corporativa pautada neste método deve trazer um aprendizado aplicável, claro e relevante. A teoria não é suficiente nesse sentido, pois na Andragogia o conhecimento do aprendiz é tão importante quanto o conhecimento do facilitador/instrutor. Sendo assim, entram no ensino as experiências de vida, os valores pessoais e as habilidades profissionais. Ficam do lado de fora a inflexibilidade, as respostas prontas e as metodologias ultrapassadas.

A Andragogia pode contribuir na capacitação de equipes, isso porque ela se apresenta como um caminho educacional diferente e eficiente para qualificar adultos através de metodologias, técnicas e recursos específicos para esse público.

O objetivo é buscar conhecer o que os adultos esperam, como agem, o que desejam e, a partir desse conhecimento, possibilita-se a elaboração de estratégias customizadas, elevando potencialmente a qualidade do ensino e também os resultados. Cabe acrescentar que quando essa metodologia faz parte do projeto de educação corporativa, o aprendizado é prazeroso e se converte em prática.

O Gestor como instrutor deve ater-se aos princípios fundamentais que ajudam a compreendê-la e aplicá-la melhor, veja e analise:

  • Necessidade de saber: Os adultos precisam saber qual a necessidade de aprender e o que eles ganharão no decorrer do processo de aprendizagem.
  • Autoconceito do aprendiz: Os adultos são  responsáveis por suas vidas e decisões, portanto precisam ser encarados e tratados como indivíduos capazes de se fazer suas próprias escolhas.
  • Papel das experiências: Os adultos possuem experiências prévias e justamente essas experiências são a base do aprendizado.
  • Prontidão para aprender: Os adultos ficam mais dispostos a aprender quando o conteúdo  parece ser útil em seu dia a dia, ou seja, quando o conhecimento tem a finalidade de ajudá-los a enfrentar os desafios cotidianos.
  • Orientação para aprendizagem: Os adultos aprendem melhor quando a aprendizagem é orientada para os fatos, aplicabilidade e resultados.
  • Motivação: Os adultos respondem bem quando fatores motivacionais entram em cena, como por exemplo, a satisfação, qualidade de vida, autoestima, desenvolvimento e afins.

"Andragogia é a arte de causar o entendimento" (Franklin Wave).

E, a comparação de Pedagodia x Andragodia?
O modelo andragógico proposto por Malcolm Knowles (o "pai da andragogia" nos Estados Unidos), difere do modelo pedagógico acerca de oito elementos fundamentais e dos seis pressupostos e nas figuras a seguir.



É preciso considerar que a experiência é a fonte mais rica para a aprendizagem de adultos. Estes são motivados a aprender conforme vivenciam necessidades e interesses que a aprendizagem satisfará em sua vida. O Gestor poderá usar o modelo andragógico canalizando as melhores práticas para orientar adultos a aprender na Organização. 

Bom trabalho e grande abraço.

Autor: Adm. Rafael José Pôncio
Publicado em: 12 de junho de 2017
Especial: artigos no portal Administradores.com
Link fonte: 
https://administradores.com.br/artigos/educacao-para-negocios-com-o-uso-da-andragogia



        Reprodução permitida, desde que mencionado o Nome do Autor e o link fonte.         

Nenhum comentário:

Postar um comentário