domingo, 25 de novembro de 2012

Prof. Rafael José Pôncio - A importância de repensar o negócio — saiba o momento e de que forma recalcular a rota


Na jornada do empreendedor existem várias situações em que o melhor a ser feito é parar a engrenagem, rever estratégias e reavaliar até a própria vida. Por exemplo, no estabelecimento de uma nova empresa podemos lidar com circunstâncias que inicialmente não prevíamos e, nesse caso, é comum haver a necessidade de fazer ajustes após repensar o negócio.

Outra questão diz respeito a um dos grandes desafios do empreendedor, que é conseguir equilibrar o seu papel estratégico, enquanto gestor, com o operacional. Afinal, um empresário de uma empresa de pequeno e médio porte geralmente lida com o acúmulo de funções. Nesse sentido, é sugado pelos problemas do dia a dia, ao mesmo tempo que precisa pensar estrategicamente nos próximos passos, no futuro da organização.

Além das situações citadas, há ainda o fato de o cenário empresarial ser bastante dinâmico. Por isso, há a necessidade de estar sempre preparado para se adaptar às mudanças e, portanto, é importante analisar regularmente a fase em que a empresa está para estabelecer parâmetros para novos ciclos.  

Esses são alguns exemplos em que uma pausa para avaliação e autoanálise é importante no empreendedorismo. Confira, nas próximas linhas, outros alertas de que é o momento de recalcular a rota. 

Sinais de que está na hora de repensar o negócio 

A conta não fecha e você está no vermelho

Quando a situação financeira não vai bem, o ideal é rever estratégias e fazer uma ponderação sobre o cenário da empresa antes que tudo piore e fechar seja a única saída. Nesse sentido, essa atitude pode ser uma questão de sobrevivência. 

Os resultados estão estagnados

Quando você percebe que os resultados estão estagnados, é preciso investigar a causa. Pode ser que sua empresa tenha alcançado o ápice de crescimento em determinado mercado e seja necessário encontrar novas formas de atingir um novo público. Ou então identificar se há gargalos no atendimento. De qualquer maneira, é crucial parar para analisar e entender o que não está dando mais certo. 

O mercado mudou e o produto está obsoleto

São vários os exemplos de produtos e serviços que perderam espaço devido à mudança do mercado. É preciso acompanhar as transformações geradas pela mudança de comportamento do consumidor e encontrar maneiras de se adaptar a elas e pensar em novas estratégias para não ficar de fora do mercado.  

Sua rotina é apagar incêndios

Tem alguma coisa errada quando você passa grande parte do seu dia resolvendo problemas em vez de produzir e trabalhar no que realmente trará resultados para sua empresa. Quando observar que está nessa situação de forma recorrente, o melhor a se fazer é identificar o que precisa ser revisto e reparado na rotina da empresa para que isso não ocorra. 

Seus objetivos de vida não estão alinhados com os da empresa ou com o empreendedorismo

Isso pode acontecer. Talvez tudo esteja indo bem nos negócios, mas seus sonhos e expectativas mudaram e você não se identifica mais com a proposta ou objetivos da empresa que criou ou tenha outros objetivos profissionais, fora do empreendedorismo. 


Não tem nada de errado com isso. Só é importante avaliar a situação com calma e se planejar bem antes de tomar qualquer decisão, já que ela pode impactar não só a sua vida, mas também a de outras pessoas que fazem parte da empresa.


Homeostase empreendedora de negócio próspero

A empresa vai bem no faturamento, a equipe parece estar alinhada como organismo vivo e transparece que tudo está bom. Porém, estagnada e quando existem oportunidades de crescimento não flui, não marca mais "gols". Eu digo que é uma síndrome do perigo empreendedorial, é uma empresa sem desafios onde o empreendedor fundador não está mais presente de alma e ninguém o substituiu.


Cabe uma visão holística administrativa do negócio para voltar a ter uma alta performance empresarial. É necessário clareza da relações humanas na organização e a criação de novos aprendizados e novos desafios. O mercado muda vertiginosamente!

Problemas pessoais e dificuldade de equilibrar a vida profissional com a vida pessoal

Como sabemos, o empreendedorismo exige uma dedicação extrema. São muitas horas de trabalho por dia, muitos percalços pelo caminho e o excesso de trabalho pode comprometer o equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal. 


Além disso, há momentos em que problemas pessoais, inevitavelmente, se misturam à rotina de trabalho. Nesses casos, é preciso ter a sabedoria de que esse é um indício de que não repensar o negócio e insistir em manter as coisas como estão podem levar a consequências extremas. 


Dessa maneira, o empreendedor precisa sim reavaliar sua rotina, seu ritmo de trabalho e até a própria vida, analisando a quantidade de tempo que tem se dedicado ao trabalho, ao lazer, à família e à espiritualidade. 


Como reavaliar os rumos da empresa como empreendedor

1. Tenha ajuda

Conte com alguém para compartilhar suas aflições, dilemas e dúvidas nesses momentos de repensar o negócio. Não precisa ser um consultor profissional, mas uma pessoa experiente no cenário empresarial que tenha o papel de mentor. Além da experiência, ela poderá auxiliá-lo ao ter uma visão de alguém de fora, que não está ligado emocionalmente aos problemas.  

2. Faça um diagnóstico da situação do negócio

Para fazer mudanças, é preciso, antes de mais nada, analisar a realidade da empresa. Seja pela questão financeira, pelas dificuldades de mercado ou problemas com processos, produtividade e logística, é importante ter a ciência de tudo que precisa ser revisto e reestruturado em um novo planejamento estratégico. 

3. Identifique os pontos fracos e fortes

Nesse contexto, mesmo que haja problemas, certamente você observará êxitos, pontos fortes e competências que são o seu diferencial e poderão ser replicados futuramente. Ao identificar os pontos fracos, você estabelece os processos que precisam ser melhorados e pode, assim, estabelecer metas para atingir melhores resultados. 

4. Reconheça o que é necessário deixar para trás

Muitas vezes, ao empreender, ficamos presos a algo idealizado, que não condiz com a realidade, e resistimos a compreender a necessidade de deixar uma ideia, um comportamento, um hábito arraigado, uma estrutura, um modelo (e até uma pessoa!), ir para as coisas começarem a andar. 


Repensar o negócio é também reconhecer que a nossa teimosia em insistir em algo que não está dando certo poderá comprometer um resultado e isso requer coragem. Afinal, nem sempre é fácil tomar decisões que provocarão mudanças no nosso sonho original, naquilo que sempre idealizamos.


A questão é que repensar o negócio não é mesmo um exercício agradável, mas é necessário e inevitável, caso você deseje superar obstáculos ao empreender. Fazendo uma analogia simples, acredito que seja como tomar um remédio de gosto ruim. A experiência pode não ser das mais prazerosas, mas a longo prazo é o que lhe tornará saudável — seja você ou sua empresa.


Bom trabalho e grande abraço.


Prof. Adm. Rafael José Pôncio




Conheça também:

Método FCA: encontre a raiz do problema e o solucione!



        Reprodução permitida, desde que mencionado o Nome do Autor e o link fonte.       

Nenhum comentário:

Postar um comentário